Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos porno » Contos eróticos de corno » Casei, dei, mas gozei pensando no ex

Casei, dei, mas gozei pensando no ex

Publicado em 21 de julho de 2022 por Cafetão

Me chamo Paula tenho 32 anos, amo ler contos aqui e hoje resolvi escrever um que aconteceu comigo!
Na época que aconteu eu tinha 26 anos, fazia quase um ano de casada e ainda não tinha gozado no sexo com meu marido.

A culpa era dele mesmo, era metido religioso cheio de nove horas, não gostava de oral, não gostava de anal, nada que fosse diferente, era só o tal de papai e mamãe, não fazia nenhuma outra posição, tudo era coisa de mulher vulgar.
Era o primeiro ano de casada era pro homem rezar em mim e já irmos pra cama, mas não, com dois meses já não tinha muito tesao em dar pra ele, pelo motivo de só chegar dar dois beijinhos na minha boca e soca no seco.
Odiava e isso me fazia ter mais saudades de meu ex, ( vou chama- lo de Antonio nome fictício para evitar correlação de fatos), fazia de tudo comigo, anal, vaginal, oral e todas as vezes eu goza, principalmente no anal.

Uma noite o meu esposo veio querendo, eu nova de casada não regulava sexo, mas neste dia eu estava com muita saudades do Antônio, queria um sexo bom, uma gozada gostosa, pernas mole, buceta babada, essas coisas que toda mulher ama, mas como já sabia, e não seria diferente, o momento era mais para tortura que prazer, eu resolvi usar a imaginação a meu favor.
Meu marido veio e fez o mesmo de sempre, dois beijos e socando no seco, eu fechei os olhos e imaginei minha doce fantasia que sempre tive com o Antonio.

Por um momento esqueci oque estava acontecendo, e entrei na imaginação, o Antonio é um moreno de 1,80 porte médio, uma rola de 16 cm que me fazia sentir-me mulher, quantas gozadas gostosas naquela rola, minha imaginação foi a mil, ao ponto de sentir tudo que sentia em nossas transas.
Imaginei ele chegado em casa em um dia que meu esposa esta trabalhando, entra, ficávamos juntos na sala conversando sobre tudo, ele me pergunta: “por que não estamos mais juntos linda”; Eu de vestido justo ao corpo, com um de rabo de cavalo do jeito que ele amava, e ficava doido quando me via assim , sabia oque o provocava, então coloquei uma lingerie rosa, salto alto, uma maquiagem neutra e leve, aquelas que diz sou misteriosa, levanto para fazer um café na maquina pra ele, quando vejo, esta atraz de mim, me abraca por trás e diz no ouvido vamos pro seu quarto.

Eu recuso de primeira digo nao posso sou casada, mas seu cheiro me deixa louca e esqueço que sou casada, ele insiste me pega no colo e me leva pro quarto, me joga na cama, vem por cima tenta me beijar, me desvencilhar-me algumas vezes até que ele consegue, e o caminho é sem volta, ergue meu vestido até a sintura, olha em meus olhos, vem no meu ouvido e diz, ” essa lingerie só sai quando eu acabar, vou te comer com ela.

Volta coloca minha calcinha de lado e me chupa como louco, ( detalhe neste momento ja não lembrava que meu marido estava fazendo a mesma transa ruim de sempre, e começo a gemer alto e com muito prazer, parecia que realmente estava vivendo aquele momento com o Antonio).
Ainda com o vestido, salto e a calcinha de lado, com a buceta toda molhada de um pequeno gozo, ele vem e me beija, sinto o gosto da minha buceta, e falo: quero te chupar, e diz agora não, hoje é do meu jeito.
No momento sinto a aquela rola entrando na minha buceta, que delicia, gemia na imaginação e na vida real, que coisa gostosa.

Gozo mais uma vez, ele tira a rola, me coloca de lado e me come, muda de posição mais uma vez, me faz cavalgar e rebolar na rola dele, e eu obedeço a todos os seus comandos.
Ainda sentada na rola dele olho em seus olhos e falo: sabe oque quero, mas quero na sala, sem vestido o resto fica, e de quatro, ele levanta sem me desencaixar, vai metendo em mim até na sala.
Me coloca de pé e tira meu vestido, me olha e fala: hoje vc não me escapa.

Me beija de um jeito profundo e demorado, o melhor beijo que já tivemos.
Olho pra ele e digo: por uns minutos eu mando, jogo ele sentado no sofá, só lingerie e salto, me ajoelho e caio de boca na rola dele, faço um oral delicioso nele, ele empurrando minha cabeça pra ir o mais fundo possível, chupo como uma doida, chupo as bolas, babo deixando bem molhado, me levantou, olho e digo: esta pronto, vem!

Eu fico de quatro no sofá, a calcinha jogada de lado, me pega pelo cabelo colocando os dedos no meu rabo de cavalo e diz: saudade de comer esse cuzinho!
Nesse momento, eu não consego me segurar e digo: sou toda sua, come ele do jeito que você sabe e gosta, sinto a cabeça entrando no meu cuzinho, a esta altura, a ficção mistura com a realidade eu gemo mais alto, quase que um grito, em um ritmo acelerado, que cena linda em minha cabeca, eu de lingerie e salto, de quatro no sofá sendo penetra por trás, ele fazendo de uma forma que gosto, rápido e devagar ao mesmo tempo, enquanto isso escuto ele dizendo: esta gostando de dar esse cuzinho para mim hoje?

Não respondo, fico apenas gemendo, ele insiste, a cada estocada fica mais forte e mais gostoso, ele tira pra fora, me puxa pelo cabelo, me coloca de joelho eu abro a boca, ele tira a camisinha e goza na minha boca, eu engulo todo aquele leite.
Neste momento eu empuro meu marido de cima de mim e gozo, de escorrer na cama, sorrio e fico com as pernas mole, igual quando dava o cu pro Antônio, e gozava de escorrer.
Meu marido olha mim com ar de sou foda e diz: hoje eu me superei, eu com cara de espanto digo: ahh como assim, ele fala: fiz você praticamente gritar e gozar.

Coitado, deixei pensando isso, mas mal sabe ele que foi a imaginação e a saudades do Antonio que me fez gozar.
Hoje nove anos depois e seis de casa reencontrei o Antonio, dei pra ele na minha casa, na minha cama, mas vou deixar para outro conto.

5 1 vote
Avalie esse conto:
570 views

Contos Porno relacionados

Comentários

guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
© 2022 - Contos porno
0
Clique aqui para comentar esse conto!x