Dando no mato para um morena lindo

Um dia eu fui para o jardim botânico ler e acabei dando no mato para um funcionário gostoso e muito gentil que apareceu do nada.

Moro no Rio de Janeiro, a 30 minutos do Jardim Botânico, é um lugar lindíssimo com muito verde, grandes árvores, fontes, flores, um lugar paradisíaco. Quando estou muito estressada gosto de caminhar até lá, me sentar num banco e ler por horas a fio meu romance preferido.

Ontem foi um desses dias, vesti minha roupa de caminhada, um legging preto (sem calcinha para não marcar) e uma regata rosa clarinha que cobre até metade de minha coxa tapando assim a xoxota. Segui a caminho do Jardim Botânico e sentei-me a ler meu romance preferido de banca de jornal.

Passado alguns minutos aproximou-se de mim um homem, moreno, não muito alto, encorpado, lábios carnudos e mãos grandes. Ele me olhou e pediu licença para sentar-se, permiti… Ele sentou-se e começou a puxar conversa, disse que trabalhava ali na administração e já havia me visto antes algumas vezes, e que minha pessoa havia chamado-lhe a atenção, que me achava linda e maravilhosa.

Algumas horas se passaram e a conversa ficava cada vez mais agradável, Marcos convidou-me a um café, aceitei, levantamos e fomos caminhando, chegamos a um lugar que havia uma construção antiga, tipo um coreto, ele me olhou de um jeito que nem tive reação, encostou-me na parede e me lascou um beijo na boca, beijava minha boca mordicando meus lábios, chupando minha língua, que beijo delicioso, Marcos se esfregava em mim, eu sentia todo o volume em sua calça na minha abertura, parecia que estávamos sem roupa.

Dando no mato

Sentia sua excitação e eu estava encharcada de tesão. Marcos abriu o zíper e colocou seu membro rijo pra fora, era fino e comprido, delicioso, encaixou na minha abertura e começou a pressionar, agarrou-me e continuou me beijando e passando as mãos em meu corpo enquanto se esfregava em mim.

Meu corpo todo se acendeu, eu delirava de tesão, cada pressão que ele fazia eu sentia massageando meu clitóris, ele foi aumentando o ritmo da pressão até que gozei, que delícia!

Marcos continuou a pressão e gozou melando toda minha legging, ele me olhou um pouco sem graça e desculpou-se por aquilo, eu sorri e disse que foi muito gostoso, nos abraçamos e demos um último beijo, seguimos ao café da tarde, trocamos número de telefones, ele pediu que marcássemos um encontro… Quem sabe?

Dando no mato
Dando no mato