Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos porno » Contos eróticos reais » Dominação e Submissão – Gozei como uma Cadela

Dominação e Submissão – Gozei como uma Cadela

Publicado em 3 de janeiro de 2023 por Lord Jorden

24 – BDSM – Dominação & Submissão – Gozei como uma Cadela

(acrónimo para a expressão Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo)

Sou a Sheila, morena que chama atenção dos homens, porém casada e adoro fazer todos os tipos de safadezas com o meu marido o Wandinho.

Não sei qual o motivo que sentimos tesão esquisito; mas sempre gostei de me masturbas, dando beliscão no meu corpo, e muitas vezes bater com uma régua escola na minha bunda; quanto maior a dor melhor será o orgasmo.

Casei aos 20 anos, e os 03 primeiros anos o sexo foi maravilho; mas, veio a rotina, porque durante a transa com o Wandinho, eu queria algo diferente; não era outro homem, mas que ele explorasse o meu corpo de maneira selvagem. No entanto, tinha vergonha de falar sobre o assunto, de maneira que a qualidade do nosso sexo foi ficando deplorável chegando ao ponto de passar alguns dias sem querer transar; evento que aguçou o ciúme meu marido, que interpretava erroneamente a presença de outro homem no nosso relacionamento; mas, a verdade não existia. O que precisava mesmo era uma transa selvagem.

Como tudo acontece com um propósito, certa tarde quando estava no shopping, encontramos com o Ivo, um primo que fora criado como um irmão, e com muita alegria nos abraçamos e falamos do passado; mas o que realmente existia naquele momento era laços de sangue e amor família; e o Wandinho (esposo), percebendo a minha alegria, ficou tomado por muito ciúmes, e com o aspecto carrancudo falou que estava na hora de ir para casa, então nos despedimos com beijos e abraços, sem o menor interesse sexual.

Chegando em casa, tomei um banho, e como toda mulher gosta de fazer, fiquei diante do espelho contemplando o meu corpo, e passando a mão em minhas entranhas, acariciava, tentando despertar a libido para ter uma transa com o meu marido, e sem perceber que ele estava na parte escura do quarto, também sem roupas esperando sair do banho para também se higienizar, o Wandinho saiu de súbito do escuro e em um gesto de grosseria ele empurrou-me com intrepidez em cima da cama, falando que eu estava pensando no meu primo, e ao sentir o impacto no meu corpo, levantei-me depressa, e agarrei com o meu corpulento marido, dei um golpe em seu pescoço, joguei ele na cama da mesma maneira, e como estávamos fixo um no outro como em combates do MMA, encravei as unhas em suas costas, com muita raiva, momento que senti as suas mãos apertar o meu pescoço, asfixiando-me; como alta defesa mordi o seu peito, e logo após senti o seu pênis duro como uma estaca, e em um gesto instintivo por sexo, subi naquele grande membro começando a cavalgar com muita força, enquanto ele havia enrolado os meus cabelos, puxando um pouco para atras. Sem a menor explicação o Wandinho, deu uma tapa no meu rosto, e ao sentir o impacto, tive um grande orgasmos, gemendo e uivando como uma loba, de maneira que o meu corpo tremia compulsivamente como se estivesse algo dentro vibrando semelhante ao motor de uma locomotiva. Era algo totalmente diferente da rotina; de maneira que as paredes da minha varginha se contariam de davam golpes no pênis do meu marido, a ponto dele levantar-se comigo agarrada ao seu abdome, e batendo nas paredes do quarto, como se estivéssemos em um mortal combate; mas, era puro prazer, ao ponto das penas dela tremerem e finalmente cair comigo ainda abraçada no seu grosso troco viril.

Ficamos ainda abraçados, por um pequeno período, depois fomos tomar banho, e nos beijávamos como dois eternos apaixonado; ao ponto do Wandinho que antes evitava o sexo anal, me pegar de jeito e mesmo sem ter lubrificante a base d’água para penetração sexual; ele empurrou o seu pênis de 17cm, em meu rabo, sem dor e sem piedade, dizendo: É assim que você gosta, assim será feito! Confesso que foi dolorido e invasivo, no entanto, logo após estava engraxado com sangue e esperma, tornando prazeroso, ao ponto de gozarmos simultaneamente.

Ao terminar o nosso ato sexual selvagem, jantamos e ficamos até tarde conversando sobre o assunto, aproveitando a oportunidade, esclareci que nunca tive outro homem na minha vida; mas não sabia porque gostava de BDSM ( ), motivo pelo qual estava sentindo o desgaste na rotina sexual, e a partir daquele dia o Wandinho, providenciou tudo para termos uma vida sexual ativa, a começar do lubrificante às algemas e etc.

A verdade é que ele não curtia esse tipo de comportamento, especialmente bater no meu corpo; mas está cumprindo as minhas fantasias na integra; a única coisa que deixa a desejar é que ele dar tapinhas na minha bunda e rosto devagar e carinhosamente, e o que queria mesmo é que ficasse os vergões de seus dedos tatuados no meu traseiro. Mas, ninguém é perfeito, e de certa forma ele se esforça muito para cumprir as minhas dominações e submissões, um dia até cheguei a urinar na sua boca e ele também urinou todo o meu corpo, evento que rimos durante uma semana.

S.M.M.

O que você acha da minha fantasia sexual, deixe um comentário no email –  

0 0 votes
Avalie esse conto:
203 views

Contos Porno relacionados

Comentários

guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
© 2023 - Contos porno
0
Clique aqui para comentar esse conto!x