Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos porno » Casa dos contos eróticos » DOMINADOR LUCAS (1): A SUBMISSA DO PARQUE!

DOMINADOR LUCAS (1): A SUBMISSA DO PARQUE!

Publicado em 28 de maio de 2023 por Lucas Freitas

Bom, antes de tudo, agradeço a quantidade de gente legal que me procurou no meu insta: @safado_sigiloso_dominador_

Ou no twitter: @ssafado0

É um zero no final!! Kkkk

Me chama lá se quiser uma putaria safada (e sigilosa pra quem preferir hehe)

Quem leu meus relatos anteriores sabe como eu sou, mas vou resumir brevemente, sou um cara alto, atualmente estou treinando bastante e tá dando resultado. As coxas engrossaram e o peitoral cresceu. A história que vou contar hoje aconteceu em dia quente e ensolarado, típico dia de correr pra rua e aproveitar. No verão, é normal as pessoas irem pra parques em cidades que não tem praia, aqui é exatamente assim. Eu fui correr em um parque como faço habitualmente e é ótimo sentir a brisa e ver as pessoas. Durante o circuito passei uma vez por uma loira linda, baixinha, bunda redondinha do jeito que quase todo brasileiro hétero gosta, seios médios e perfeitos. Estávamos correndo em sentidos opostos e, na primeira vez que passamos um pelo outro, houve uma troca de olhares acompanhada de um sorriso simpático de cada um. Óbvio que não pensei nada além de ela ser uma mulher simpática como outras pessoas pelas quais passamos e nos cumprimentam, mas é óbvio que quis que ela estivesse me dando aquela moralzinha. Ah, o ego e o desejo!! Na próxima volta, sorrimos um pro outro.

_ Dia ótimo pra correr, né? Comentei.

_ Sim, tá muito gostoso! Respondeu ela.

Pensei que gostoso seria estar fodendo muito com ela, isso sim! Na próxima volta, fui me aproximando de um banco e vi que ela estava sentada ali mexendo no tornozelo.

_ Oi, aconteceu alguma coisa?

_ Oi, pois é, acabei torcendo o pé e senti uma dor forte no tornozelo.

_ Caramba, que ruim, mas não vejo nenhum inchaço. Falei sentindo o perfume maravilhoso que vinha do corpo daquela mulher deliciosa. Você consegue andar?

Ela levanta e tenta dar alguns passos, mas diz que não consegue sem apoio. Eu na hora me prontifico a acompanhá-la.

_ Prazer, sou Lucas. Você está de carro? Quer ir até onde?

_ Prazer, Lucas, me chamo Marcela. E, não, estou a pé, moro aqui perto.

_ Se quiser, eu te acompanho até sua casa.

_ Não precisa, não quero atrapalhar sua corrida.

_ Jamais você atrapalharia. Um dia a mais ou a menos correndo não faz diferença e hoje já conheci você aqui, então isso importa mais que qualquer exercício.

Ela sorriu e saímos abraçados pelo parque como um casal de namorados. Ao atravessarmos a avenida movimentada ao lado, um carro veio rapidamente em nossa direção. Ela se assustou e se desgrudou de mim dando uma breve corrida de alguns passos. Percebi que ela estava bem do tornozelo. “Essa safada gostosa tá fingindo! Se ela der chance, como essa puta gostosa!” pensei. Seguimos até seu apartamento.

_ Olha, Lucas, nem sei como agradecer.

_ Eu sei!! Me dá um copo d’água, porque hoje está muito quente e to morrendo de sede.

Ela me olha com cara de safada na porta do próprio AP.

_ Quer matar sua sede aqui, é só vir!

Sem aguentar mais de desejo, vou pra cima dela e nos beijamos com vontade. Nossas línguas se entrelaçando. Envolvo sua cintura e puxo seu corpo contra o meu. Fechamos a porta.

_ Eu não sou uma qualquer, Lucas!

_ Não é mesmo, você é uma mulher deliciosa que deve ser uma puta gostosa transando. Falo isso beijando seu pescoço e colocando a mão por dentro de sua calça, já sentindo calor da sua buceta.

_ Aiii que tesão porra!! Me faz tua puta então. Não aguento mais!!

Coloco o dedo no grelinho dela e sigo beijando a loira gostosa que agora geme na minha boca. Sinto a sua buceta molhando meu dedo e continuo enquanto ela aperta meu pau duro. Sem aguentar, baixo minha bermuda.

_ Cai de boca, vagabunda! Ao falar isso sinto a buceta da Marcela pulsando e percebo que ela gosta de ser dominada e xingada. Confesso que também adoro hehe.

_ Aiii eu não sou isso não!!

Apesar do que diz, obedece meu comando e ajoelha começando a mamar meu caralho com vontade. Seguro sua cabeça pelos cabelos da nuca e vou ritmando.

_ Que delícia de boquinha, minha cadela suja!! Ahhh! Pego mais pesado no xingamento e vejo que ela treme ao me ouvir xingar ainda mais levando a mão por dentro da calça tocando na sua bucetinha molhada.

A vadia mama com maestria e sinto meu pau inchar mto naquela boca enquanto a cadela me olha com cara de submissa puta. Tiro rápido o pau de dentro daquela boca carnuda.

_ Caralho, vagabunda!! Não quero gozar ainda, vadia!! Vamos pra teu quarto, quero te comer na cama.

_ Sim, meu gostoso, como quiser!

É impressionante como eu adoro ouvir isso de uma mulher, porque a minha vontade de dominar cresce absurdamente à medida que vou percebendo que a vadia me obedece. Entramos no quarto nos beijando e tirando um a roupa do outro. Que corpo delicioso daquela puta gostosa! Aperto seu rosto com a força certa e empurro a vadia pra cama. Ela cai e vou por cima beijando com tudo e já metendo meu pau naquela buceta toda molhada. Os barulhos molhados se espalham pelo quarto a cada estocada que dou na vagabunda: ploc, ploc, ploc!

_ Issoooo! Aahh! Ahhh!! Fode, meu gostoso!! Fode tua loira vagabunda!!! Aaaiiieeee!!

_ Vou te encher de porra, minha cadela vagabunda!! Ahhh!! Caralhooo, que buceta gostosa!!!

Comecei a bombar com vontade, sentindo meu pau inchar e a buceta dela pulsar cada vez mais.

_ Vou encher essa xota de leite, minha putaa!! Aaaahhhhh!!

_ Enche, meu donooo!!! Aahhh ahhhh!!!

Enfiei fundo pela última vez e senti meu pau inchar. E logo explodi em gozo inundando a vadia de leite!! Ela gemeu e tremeu inteira sem parar por um tempo gozando no meu pau. Eu sentia sua buceta pulsar querendo extrair de mim o máximo de porra que conseguisse pra dentro dela.

Ficamos um tempo colados e sentindo um pulsar no outro. Um tempo depois, apertei seu rosto e a beijei de língua.

_ Amanhã eu volto aqui pra comer teu cú, entendeu, vadia? Agora sou teu dono e vamos fazer muita putaria.

_ Sim, meu dono! Vou estar aguardando o senhor. Obrigada por me fazer sua hoje.

Vesti minha roupa e saí. Mas no outro dia voltei e a coisa foi bem mais intensa hehe, mas outra hora eu conto!

Bom, vou gozar gostoso agora, porque fiquei de pau duro aqui imaginando você molhada lendo meu texto. Vem ser puta do dono no sigilo total. Me chama no insta ou no twitter e vamos nos divertir. Prometo que vamos gozar muito juntos, minha vagabunda gostosa!! Chama lá, tesão!! Bjos!

4 1 vote
Avalie esse conto:
1268 views

Contos Porno relacionados

Comentários

guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
© 2024 - Contos porno
0
Clique aqui para comentar esse conto!x