Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos porno » Contos eróticos de corno » No dia em descobrir que era corno

No dia em descobrir que era corno

Publicado em 18 de dezembro de 2022 por fernandes silva brito

Meus caros amigos, é com muita satisfação que venho relatar esse caso, como foi que descobrir que era corno, apesar de desejar isso, só que não tinha coragem de conversar com minha esposa, me chamo Fernandes, e minha esposa Silvania, eu tenho 58 anos, sou de cor claro, ela 32, de cor branquinha, somos casados há 12 anos, no inicio de nosso casamente nós transava direto, 4 a 5 ou mais por semana, mas com o passar do tempo foi virando rotina nosso relacionamento e aos poucos foi diminuindo, começamos a inovar algumas posições, locais, entre outras coisas, e no inicio ainda resolvia, logo depois esfriava, acontece que de repente eu passei a imaginar ela transando com outro, com as pernas abertas e o pau de outro entrando na bucetinha dela, minha tesão aumentava e ficava me masturbando, e sempre pensando como iria falar pra ela que eu tinha esse desejo de ser liberal, até que tudo aconteceu no último dia 10/12/22 quando nós fomos a uma festa na cidade vizinha, festa de confraternização dos pessoal da clinica onde ela trabalha como fisioterapeuta.

Chegamos na chácara por volta das 11:00 hora saímos as 17:00 horas, e no retorno ainda fomos ao motel, e quando chegamos em casa, ela tentou me fazer uma pergunta, porque nós não fomos para a pousada KISS, mal terminou de perguntar, ela olhou pra mim e eu vi que ela estava pálida, foi ai que procurei saber como era que ela sabia desse motel, ela se complicou mais ainda dizendo que tinha ido comigo, eu respondi que nós nunca tínhamos ido nesse motel, ela inventou outra estória dizendo que viu numa propaganda, então sentei ao lado dela e mandei ela contar a verdade, ela muito nervosa me pediu desculpas, que realmente não tinha sido comigo, nesse momento mandei ela sentar no meu colo e contar tudo, antes dela começara falar, peguei a mão dela e coloquei por cima do meu pau, que já estava pra explodir dentro da bermuda, e falei qual era o motivo de meu  estar assim, foi em saber que ela tinha transado com outro, em seguida falei que também tinha muita vontade de pedir que ela transasse com outro, e já que ela tinha transado poderia ficar calma e me contasse tudo, ela então começou a narrar:

foi assim amor: no dia 02/12/22 apareceu uma rapaz na clínica trazendo seu irmão para uma consulta, um rapaz moreno, muito bonito e educado, bem vestido e perfumado, e não sei o que houve comigo que sentir uma tesão incontrolável por ele, minha bucetinha ficou bastante ensopada, terminado a consulta mandei que ele que marcasse o retorno para a sexta feira dia 09/12/22, e você estaria viajando só chegaria no sábado, então eu poderia ficar tranquila, quando chegou a sexta feira ele compareceu, então amor, eu tratei logo de saber o nome dele, que  se apresentou como Charles, fiz o exame no irmão dele e assim que terminei falei pra ele que não via a hora de sair do serviço para tomar um vinhozinho pra relaxar, e nesse momento convite a ele, de imediatamente ele aceitou, e nisso ele tratou de pegar o meu contato passou o dele também, e as 18:00 horas sair do trabalho, peguei o carro e corri as pressa para me arrumar.

Não vendo a hora de me encontrar com ele, cheguei em casa, tomei uma banho bem demorado, me depilei deixando bem lisinha a minha buceta, vesti meu vestido preto de alcinhas, coloquei uma tanguinha também preta e as 19:30 liguei pra ele, e fomos nos encontrar numa conveniência do posto 24 horas, lá deixei o meu carro e fomos tomar o vinho, chegamos no restaurante, ele pediu o vinho e uns bolinhos de bacalhau, comemos e bebemos como se fossemos marido e mulher, ele sempre me elogiando, já se passava das 22:30 quando eu chamei ele para irmos embora, ele pagou a conta, entramos novamente no carro dele saímos de lá, logo adiante ele parou e desligou o carro, virou para meu lado, começou a alisar meu cabelos, depois pegou no meu queixo, acariciou, em seguida puxou meu rosto para me beijar, então beijei aquela boca deliciosa, ficamos alguns minutos dando carinhos, quando ele me falou para agente ir para um local mais confortável, e foi aí que fomos para essa pousada KISS, chegando lá, já fomos se deitando ficamos mais alguns minutos nos beijando e depois ele sentou na borda da cama, e mandou que sentasse de frente pra ele, com eu estava de vestido não deu trabalho de ficar sentado nessa posição, e ai Charles baixou as alcinhas do vestido e passou a chupar meus seios, uma hora chupava um, outra hora chupava o outro, e naquele momento eu já esta quase gozando.

Foi então que desci do colo dele e ele mesmo tirou minha calcinha, eu para retribuir desabotoei a calça e tirei o mastro, e quando vi fiquei assustado pela espessura do pau dele, nesse momento perguntei a ele se aquilo iria conseguir entrar em mim, Charles falou que com calma conseguiria, depois ele tratou de baixar o vestido me deixando totalmente nua, foi aí que ele buscou um preservativo e me entregou, e quando fui colocar as minhas unhas rasgou a camisinha, ele pegou uma outra e ele mesmo colocou, depois me pegou nos braços, lentamente me deitou na cama, veio devagar e foi se encaixando entre as minhas pernas, ficou roçando a cabeçona na entradinha e aos poucos me penetrando, foi amor que comecei a sentir minha bucetinha sendo rasgada, parecia que eu era vigem naquele momento, ele bem compreensível tirou, deu um tempinho e voltou a me penetrar até que entrou toda, com mais alguns segundos parado dentro de mim, é que começou os movimentos, no inicio ficou ardendo, ficamos transando naquela posição até eu mandar ele aumentar os movimentos que iria gozar, ele aumentou e gozei com aquela jeba dentro, em seguida ele começou a urrar dizendo que estava gozando, descansamos um pouco e depois fomos tomar banho.

Depois retornamos para cama e fomos dormir de conchinhas, não sei quanto tempo eu dormir, só acordei com ele alisando minha bucetinha, alisava e colocava os dedos dentro, eu já esta molhada quando ele meteu por trás, ficou uns minutos metendo e depois me colocou de quatro, pincelou a cabeça na entradinha e meteu, nessa hora foi que eu vi que ele não estava mais usando a camisinha, como estava gostoso não pensei em nada, só queria gozar mais uma vez e não demorou muito eu gozei primeiro e ele depois, inundando minha buceta, descansamos mais uma vez e fomos dormir, o dia estava amanhecendo quando acordei ele querendo mais, como ele estava dormindo e naquele momento sem tesão, eu passei a chupar o pau dele, que mal cabia na minha boca, nos primeiros minutos ainda estava mole mais depois foi ficando duro que mal eu conseguia abraçar ele com a minha mão, chupava a cabeça, passava a língua ao redor e tentava colocar toda na boca, e com uns quinze minutos ele voltou a urrar e gozar no meu rosto e seios, depois fui limpar o restante que saia com a língua, levantamos e fomos tomar outro banho e fomos para casa, cheguei em casa e dormir até o meio dia, quando acordei tinha várias ligações suas, fiquei preocupada nessa hora, quando ela terminou de relatar eu transei com ela no sofá mesmo, foi uma das melhores transas que tive com minha esposa, se não foi a melhor.

No dia de ontem eu pedir a ela que fosse se encontrar com ele novamente, ele nesse momento está transando com em algum motel por aí, e pedir a ela que me enviasse via zap a localização na hora que estivesse no motel, ela me enviou era as 22:00, e desde esse horário que estou me masturbando, já bati duas punhetas só imaginando ela com as pernas abertas e o pau dele arrombando a buceta dela.

0 0 votes
Avalie esse conto:
453 views

Contos Porno relacionados

Comentários

guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
© 2023 - Contos porno
0
Clique aqui para comentar esse conto!x