Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos porno » Contos de putaria » Nostalgia da adolescência

Nostalgia da adolescência

Publicado em 15 de junho de 2024 por Cafetão

Olá, me chamo Lais, tenho 29 anos.
Sou casada com filhos e o conto que ralato hoje é sobre uma pessoa que acabei reencontrando.
Era meados de Dezembro de 2008 eu tinha 14 anos na época, eu sempre fui muito desinibida, tinha tudo em cima, cabelos dourados, seios medianos (em desenvolvimento), coxas grossas, bum bum empinado, magra de cintura fina, olhos esverdeados e boca carnuda.
Eu já havia ficado com uns garotos afoitos, como morávamos no interior do estado, cidade pequena todo mundo se conhece, não me despertaram desejos os garotos da li, mas os hormônios dessa idade acabou falando mais alto e com um deles acabei perdendo a virgindade.
Contei para minha mãe que dês de cedo já me levava ao ginecologista, como Havia iniciado minha vida sexual deveria tomar contraceptivos.
Durante as férias escolares nesse mesmo mês, chega um garoto em nossa cidade, sua avó morava na rua da minha casa, ele era um ano mais velho que eu, nessa época era mais que normal todos ficarem correndo e brincando na rua até tarde da noite, e esse garoto que vou Chamar de Henrique…
Fez amizade com nossa turminha e durante as férias não nos desgrudamos mais, era mais que normal um bando de adolescente nessa idade qualquer assunto acabar só falando de putaria, e não foi diferente, numa tarde estávamos todos conversando, e ele apenas calado ouvindo e nos como um bando de depravados falando de nossas experiências, sendo elas se masturbando ou até mesmo no ato.
Certo dia fazia muito calor então combinamos todos de ir ao clube, nos refrescarmos um pouco na piscina, mas Henrique era diferente dos outros garotos, vindo de Curitiba a gente muita das vezes até tirávamos sarro de seu sotaque, porém passei a reparar nele, ao chegar no vestiário comentei com uma amiga, que ele era um pouco estranho, pois era sempre tão calado, mas que era muito gato.
Cabelos pretos, pele morena, boca bonita, com um sorriso que intimidava, olhos cor de mel, pernas e coxas bem torneadas para sua idade, então decidi que eu iria ficar com ele, e que provocaria aquele garoto enigmático, então coquei meu Biquíni mais cavado, e ele num canto apenas com os pés na piscina de bermuda e camiseta e óculos escuros, eu passava por ele e me mostrava, coisa que ele não esbossava nenhuma olhada, apelando cheguei até a desatolar a calcinha do biquíni em sua frente, coisa que não adiantou de nada.
Até que Jonathan um amigo da nossa turma que adorava colocar apelidos o chamou para entrar na piscina gritando.

_ Ei Paraná…. Pode entrar na água aqui ninguém tem doença.

Ele riu e tirou sua camiseta branca que marcava um pouco seu peitoral, eu de dentro da pscinava comecei a observar aquela cena, aquele corpo moreno apesar de ter só 15 anos super definido, de uma barriga tanquinho que meu Deus me deixou molhada na hora, ele entrou na piscina e veio nadando até nosso encontro, então resolvi investir, quis saber mais sobre aquele garoto que conforme ia se soltando foi contando sobre seus vida, super esportista jogava futebol, treinava judô e boxe, com uma vida bem regrada.
Eu fiquei maluca, naquele dia esse menino alugou um apartamento em minha cabeça de onde não saiu mais, então atirada como eu era em brincadeiras o abracei por trás e fiquei sentindo aquele cheiro gostoso se seu perfume, e ele dês de muito novo já tinha jeito de homão da porra, que a todo momento se mantinha posturado.
Naquela noite ele já não saiu da minha cabeça, cheguei em casa, tomei um banho, vesti meu pijama limitado em uma blusinha e um shortinho rosa, deitei em minha cama e ao lembrar daquele corpo moreno, fui tomada por um tesão descomunal, sentia minha buceta retraindo e ao passar a mão em meu short senti meus dedos molharem, naquela noite eu me masturbei introduzindo os dedos tentando representar seu pau que eu nem havia visto, quando sento meu corpo tremer e em um Gozo gostoso molinha na cama ficava só imaginando como seria seu beijo.

Os dias foram passando as férias estava quase por acabar até que Jhonatan me chama e casa.

_ Lais!, Soube que o Henrique foi embora ontem a noite?

Eu com um olhar de descontentamento respondi:

_ Não!, você tem o MSN dele pra mim Add e teclar com ele?
Jhonatan passou o MSN, onde eu o chamei para conversar e dias sem resposta.
As aulas voltavam e dali eu segui, com ele na cabeça, imaginava ele vindo pra cá novamente, eu provando aquele corpo gostoso, e assim foi por dias, até que numa tarde ao chegar do colégio decidi abrir o ORKUT para ver os depoimentos e para minha surpresa tinha uma solicitação de amizade dele, aceitei e corri mandar mensagem, que me respondeu na hora e dali começamos a conversar, também passávamos horas no MSN na Webcam conversando, e com ele eu via que não precisava falar de putaria para me sentir mulher, ele sempre muito educado via webcam, eu não colocava meu pijama pois conversávamos mais a noite, dava para perceber os bicos dos meus seios que ao conversar com ele ficavam duros pois até seu tom de voz me excitava.
Mas toda vez que desligava a ligação por vídeo eu corria me tocar pensando nele.
Até que em certo dia as coisas começaram a ficar mais quentes, ele posta uma foto no Orkut de sua coxa com alguns pontos, ao ver aquilo corri no chat preocupada perguntar o que houve:

[email protected] diz:
_Oi o que houve com sua perna, está cheia de pontos, está tudo bem?

[email protected] diz:
_Sim, Quer dizer Mais ou menos, estava no treino de futebol hoje e em uma dividida rompi o ligamento!

[email protected] diz:
_ Poxa que pena melhoras pra vc, estamos esperando vc voltar pra cá, pra gente ir pro clube, andar no parque, ir na sorveteria a cidade tá muito parada.

[email protected] diz:
_ Ah talvez eu vá nas férias de julho!

Apartir desse momento eu resolvi apimentar mais as coisas pois eu já estava com ele a meses em minha cabeça então eu investi.

[email protected] diz:
_Legal, ficarei esperando, daí quem sabe eu não cuido dessa perna pra você, já pensou uma enfermeira particular?

E ele me responde imediatamente:

[email protected] diz:
_ Se essa enfermeira vir com aquele biquíni eu aceito.

[email protected] diz:
_ Se preferir posso ir sem!

Pronto Aline foi a combinação perfeita do que eu queria, ele havia reparado em mim, ele estava de olho em mim também, e em meio a uma conversa cada vez mais picante me masturbei sentindo meu clitóris durinho naquela noite, eu estava sedenta, pegando fogo por dentro, queria dar a todo custo para aquele garoto.
Chegamos as férias de julho nada dele aparecer, e eu louca nossas conversas cada dia mais safada, ele me contava o que iria fazer comigo, a forma que iria me comer e eu delirando de prazer, até que uma hora eu enchi o saco, arrumei um garoto da escola para aliviar esse tesão todo, então naquela tarde eu sumi do computador, fui pra casa de um dos meninos que eu já havia ficado estava louca pra transar, porém Henrique não saia da minha cabeça e advinhem, o sexo foi uma bosta, cheguei em casa de noite por volta das 19:00 tomei um banho, liguei a webcam chamei Henrique por vídeo pedi para ele apenas ficar calado e me observar!
Tirei minha roupa, abri minhas pernas e toquei uma sirirca para ele, e gemia chamando seu nome, dava pra ver que ele estava gostando e se punhetava, mas ele não me deixava ver seu pau, eu gozava e me contorcia feito uma putinha, passava os dedos em meu clitóris, e dizia o quanto eu queria ele.
Ao desligar ele sorriu e apenas disse:
Até breve.
E dali sumiu, não me respondia mais, eu me sentia um lixo, pois ele só queria me ver pelada, tocar sua punheta e vazar fora kkkkkk coisa de adolescente.
Chega meu aniversário de 15 anos fiz um combinado com meus pais de fazer uma festa no ano posterior para que tivéssemos condições de fazer uma mega festa eles concordam, pois tínhamos uma condição legal mas eu queria algo glamouroso.
Chega novamente as férias escolares e nada desse garoto aparecer.
Ali já estava tudo sem graça nem os garotos que eu ficava eu conseguia me sentir devassa daquela forma.
Até que ao voltar às aulas ao conhecer minha sala nova, eu tive um baque, ao entrar na sala de aula, vi ele sentado ao lado da janela de mochila, uniforme do colégio. Me sentei em um lugar e ficava apenas olhando ele igual uma tarada e com raiva ao mesmo tempo.
Até que a professora o apresenta para a sala, e ele contou que havia se mudado para a nossa cidade pois a avó havia adoecido e sua mãe veio cuidar dele, e que ele havia perdido um ano por conta das cirurgias que havia feito na perna.
Ali eu já não me concentrava mais só queria falar com ele, quando chegou o intervalo o procurei pelo colegio todo até que o vi sentado sozinho na arquibancada da quadra, me enchi de coragem e fui até ele questionar sua postura perante a mim, péssima ideia, ele me desmontou com aquele sorriso lindo e dali passamos a nao nos desgrudar mais, e com os dias passando compensamos a ficar, mão boba vai, e mão boba vem, entre beijos e carícias, ele passa a frequentar minha casa e eu a dele, meses se passavam e a gente falava que éramos só amigos, até que minha mãe percebe que eu me tornava uma garota mais calma e muito mais vaidosa, mas que direto chega com o perfume dele em minhas roupas, e então me endaga, diz que era pra gente formalizar pois era feio ficar se pegando pelos cantos e que ela já tinha visto isso aqui em casa, que se meu pai pegasse iria brigar conosco.
E eu com um sorriso safado só respondo que a gente só estava curtindo o momento, mas lá no fundo havia sentimento.
Até que chega minha festa, e eu o convido para dançar a valsa comigo, ele topa na hora, e me acompanhava em tudo, éramos tipo o casal adolescente que a galera invejava.
Durante a festa escapa vamos para nós agarrarmos, ele estava lindo, minutos antes de dançarmos a valsa ele me pega pela mão, me leva até o banheiro levanta meu vestido, abaixa minha calcinha e mete sua língua em minha buceta me chupando tão gostoso que graças ao som alto ninguém ouvia meus gemidos, então gozei na sua boca, ele pega minha calcinha, guarda em seu bolso e disse que iria guardar de presente, eu saí dali extasiada e toda molhada, fomos ao meio do salão e durante a valsa ele cochicha em meu ouvido:
_Esta gostoso aí sem calcinha?

Eu respondo:
_Sim porém estou toda molhada.
Ele me rebate:
_Que bom mas seu presente mesmo, te darei quando ficarmos sozinho.

Eu e ele já havíamos posado na casa um do outro mas nunca rolava nada pois a mãe fazia vista grossa em cima dele, cobrando mais os estudos, porém ela me adorava e minha mãe toda vez que o via chamava ele de genrinho o que era muito engraçado.
Dias após isso acontecer na festa ele chega me contando que sua vó iria ter que fazer um tratamento em Sorocaba e que ele ficaria de quinta a domingo sozinho em casa.
Pronto essa foi a oportunidade perfeita, na quinta feira eu peço a minha mãe se posso ir na casa dele, ela com uma cara de quem sabia o que iria acontecer deixou, tomei um banho, me arrumei, me perfumei e quando eu estava prestes a sair de casa minha mãe olha pra mim e diz:

_Juizo hein, e pelô amor de Deus por mais que vc tome anticoncepcional se proteja.
Peguei meu celular liguei pra ele que estava no ginásio de esportes fazendo judô, e fui ao seu encontro, chegando lá me deparo com ele com um kimono preto, entreaberto, corpo suado, nossa ali eu já nem acreditava que iria finalmente acontecer.
Ao terminar o treino fomos para sua casa, ele me pede um minuto para se banhar e fala pra mim comer algo, a essa altura nem fome eu tinha, quando ouvi o chuveiro fui até o corredor a porta estava aberta, eu ali parada vendo aquele monumento tomando banho ele olha pra mim com cara de safado e diz:
_ Vai ficar aí parada olhando ou vai vir pegar seu presente.

Eu me despi rapidamente e quando entro no box, vejo aquele tamanho todo de rola, grande de cabeça avermelhada, pus em minhas mãos e comecei a punhetar ele, sentia seu pau grande, grosso e veiudo pulsar em minhas mãos, ele começa então a beijar meu pescoço, desce a te meus seios e puxa meu corpo conta o seu, depois vai descendo até chegar em minha barriga que tremia, não acreditando que aquele momento estava acontecendo, e então ele desce mais até chegar em minha buceta, lisinha, e começa a lamber meu clitóris, o clima era maravilhoso nossos corpos estavam em chamas, até que a gente sai do banheiro, ele tranca toda a casa, liga o som e me leva para o seu quarto.
Então ele me deita em sua cama abre minhas pernas e começa a me chupar vigorosamente, sua língua passava em meu clitóris e vulva me fazendo sentir o primeiro orgasmo, e então em um 69 lindo começamos a nós chupar, seu pau quase não cabia em minha boca mas eu me dedicava, queria tudo com ele,
Até que então ele me tira de cima dele, me deita e começa a pincelar minha buceta com seu pau, que estava latejando de tanto prazer, ele se posiciona e de vagar vai me penetrando, e sorrindo começa a fazer leves movimentos de vai e vem, até que preciosa seu corpo no meu e começa a meter forte , eu gemia como um cadela, e ele colocando minhas pernas em seus ombros estocava cada vez mais forte, eu sentia sua as coxas batendo forte sobre minha bunda, e seu pau invadindo cada vez mais forte as paredes da minha vulva, aquilo estava maravilhoso até que eu começo a gemer e Gritar:
_Come sua putinha gostosa, ahhhhh Mete esse pau imenso em mim.
E em gemidos gostoso ele metia cada vez mais forte me chamando de putinha deliciosa,
Eu estava nas nuvens, meu clitóris duro tremia até que explodi em um gozo maravilhoso e ele me comendo num ritmo mais acelerado quando senti seu pau pulsar dentro de minha buceta e sinto jatos quentes me preenchendo por dentro.
E ele gritando:
_Aaah amor tô gozando nessa buceta gostosa,

Ele solta seu corpo gostoso sobre mim e ficamos rindo feito dois idiotas, ele tira seu Lindo cacete de minha buceta que escorre sua porra por minhas pernas, ainda de pau duro ele alisava minha buceta que queria mais aquele pau, então ele me coloca que quatro e começa a me comer novamente, o barulho de sua coxa batendo em minha bunda e gemidos tão altos que esquecemos até da música e do horário, quando percebo que seus dedos percorrem meu cuzinho, eu tiro seu Pau de minha buceta que estava escorrendo e digo.
_Vem como o cuzinho do seu amorzinho!
Ele sem pensar duas vezes pincela seu pau no melzinho que saia de minha buceta e vai enfiando aquela tora vagarosamente em meu cu era um mixto de dor e prazer, e então com sua mão direita ele começa a tocar uma sirirca e bombando forte em meu cu que ali já estava acostumado com aquele pau me invadindo, até sinto minha buceta pulsar e piscando o cu sentindo aquele pau, dentro explodi em um gozo e um jato saindo de minha buceta, fiquei mega constrangida, sai da cama achando que havia feito xixi.
Pedi do desculpa e ele ali rindo, então me disse:
_Eu vi num vídeo uma mulher fazendo isso, foi bom né?
Enciumada perguntei se ele estava assistindo pornografia e ele me responde que não, que preferia momentos como o nosso e não ele e sua mãos.
Então ele volta para meu cuzinho e começa a bombar mais forte e mais gostoso, meus olhos viravam até que sinto mais jatos quentes que quando ele tira seu pau escorre perna a baixo, e caímos na cama rindo feito loucos, meu corpo tremia e então ele me propõe um banho, ali naquele momento nossa sintonia era incrível, parecíamos um casal que já tínhamos intimidade a anos, ao nos ganharmos trocamos carícias, sorrisos e beijos, ao sairmos peguei apenas uma camiseta dele, ele não vestiu nada, foi até a cozinha preparou um lanche e eu não sala escolhendo, um filme, deitamos no sofá onde o filme era interrompido por beijos e novamente um sexo gostoso, eu estava viciada naquele pau já, me ajoelho em sua frente abocanho aquela rola e chupo com toda minhas forças, descia molhando e subia secando até que ele enche minha boca de porra e eu engulo tudo, era quente e amargo ao mesmo tempo, quando foi perto das 20:30 aviso que vou embora e ele pede pra mim ficar com cara de pidão, eu ligo pra minha mãe e peço para posar lá, que nem esquentou a cabeça e deixou, só pediu pra mim não contar para o meu pai pois ela iria falar que eu posaria na casa da Pâmela, e ali nos deitamos e transamos a noite toda, no outro dia nem fomos para o colégio ficamos a sexta toda apenas naquela rotina deliciosa, e assim foi no final de semana todo, voltei pra casa e de tarde ia lá dar gostoso pra ele.
E então dias após o ocorrido decidimos assumir um namoro, onde qualquer oportunidade de trepar estávamos trepando, minha mãe por diversas vezes nos pegou no flagra e dizia para a gente ser mais cuidadosos.
Mas como diz o ditado meus caros nem tudo são flores, os anos foram se passando, e nossa relação cada vez melhor,estávamos amadurecendo juntos, então chegamos aos 18 eu tinha um namorado maravilhoso, com um sexo foda, saíamos juntos, curtimos era perfeito, até que eu disse que prestaria vestibular em outro estado pois meu sonho era fazer odontologia, ele logo me apoiou, passou todo processo CMG e também prestou vestibular, para fisioterapia, porém eu passei no vestibular de outro estado, e ele em uma cidade próxima a nossa, ele me apoiou e disse que dariamos um jeito, então me mudei e iniciei a faculdade, por conta da correria mal nos falávamos e fomos nos afastando, até que um dia ele veio me ver e disse que nossa relação tinha sido linda de mais, porém não queria ter mágoas que era pra gente parar por ali, enquanto não fazíamos nenhuma cagada por carência e acabar magoando o outro, concordei e ele realmente tinha razão, e assim nossas vidas tomaram rumos diferentes, eu me formei, conheci me atual esposo, os anos foram passando ganhei uns kilos engravidei, me descuidei pois tive que abri mão do meu sonho para me dedicar apenas a filha e esposo que me fez parar de trabalhar, e assim os anos foram se passando, tenho uma vida maravilhosa porém aquele vaizio de um casamento que dia após dia vaio ruindo, certo dia decido visitar minha mãe que diversas vezes falava de Henrique para mim, que ele havia se formado e retornado para Curitiba, então voltando em minha cidade ao entrar em uma avenida, vejo um homem com seus traços correndo de fones de ouvido na companhia de uma mulher loira, linda bem padrão, e pasmem era Henrique, os anos o fizeram bem!, um pouco barbudo, sem camisa, corpo bem malhado na companhia de uma mulher completamente deslumbrante e eu ali em meu carro só admirando e olhando aquela cena, ao chegar na casa de minha mãe, contei o que vi e ela disse que ele Havia voltado para Curitiba, se formado, casado e que a cada 15 dias vem visitar sua mãe e trás sua filha pequena para fazer companhia a avó.
Certa tarde nos esbarramos e ele sorrindo me comprimenta e eu finjo que não o conheço pois estava na companhia do meu esposo, sei que a essa altura ele nutri uma mágoa pois nossa relação foi linda, maravilhosa nos esbarramos várias vezes porém ele não me cumprimenta mais, e assim sigo apenas com aquela nostalgia da adolescência, várias vezes me masturbo pensando e lembrando de toda aquela fase.
Espero que tenham gostado!!!

0 0 votes
Avalie esse conto:
98 views

Contos Porno relacionados

Comentários

guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
© 2024 - Contos porno
0
Clique aqui para comentar esse conto!x