Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos porno » Contos eróticos gay » Fim de Semana no Sítio

Fim de Semana no Sítio

Publicado em 28 de maio de 2023 por Ricardo Centrino

Meu nome é Ricardo Centrino, tenho 45 anos e sou casado com mulher, mas sempre senti tesão por homens e muitas vezes me masturbei imaginando sendo pego por um macho.

Sou um homem bonito, tenho 1,72 de altura, 78kg, cabelos castanhos/grisalhos, boca carnuda, poucos pelos nas pernas e braços e um belo bumbum lisinho.

Apesar desse tesão, até março de 2022 nunca havia tido qualquer relação com outro homem, mas tudo aconteceu naquele sítio.

Estava louco para tirar um tempo só pra mim, então busquei na net um lugar para ficar e localizei o famoso sítio. Entrei em contato com o proprietário e aluguei por um fim de semana.

Fui informado que seria recebido por Paulo, caseiro do sítio.

Na data agendada fui sozinho ao destino e, chegando no local, distante de tudo, fui recepcionado por Paulo, um belo homem de aproximadamente uns 40 anos; estava de calça jean e sem camisa, mostrando um peito forte e peludo.

Fiquei arrepiado ao ver aquele macho peludo, pois tenho tara por um urso.

Me recebeu, super educado e me conduziu a casa principal.

Conversamos por um tempo e, quando ele estava por sair da casa, convidei para retornar mais tarde para tomar algo; ele sorriu e aceitou o convite e foi para seus afazeres.

Eu, imaginado que pudesse acontecer algo, tomei um belo banho, me preparei e fiquei super cheiroso; vesti uma bermuda jeans mais apertada e uma camisa de malha.

Próximo das 20h ele chegou; estava com um bermuda apertada que representava um belo volume e uma regata.

Sentamos na sala, servi vinho para nós e passamos a conversar. Ele logo mencionou que era divorciado há alguns meses e que residia sozinho no sítio; que sentia falta de uma companhia. Perguntou pq eu estava ali sozinho.

Disse que queria um tempo pra mim e, no impulso, mencionei que quem sabe aceitaria novas experiências.

Ele me comeu com os olhos e perguntou: que tipo de novas experiências

Fiquei sem ação, mas respondi: quem sabe uma relação passageira de final de semana.

Certamente nós dois estávamos com tesão aflorado…

Ele sem rodeio perguntou se eu aceitaria ser a mulher dele naquele final de semana… nossa, gelei.

Me fiz de desentendido e de difícil… perguntei: como assim, sou homem casado.

Ele veio mais perto e disse: estamos só nós dois aqui, longe de tudo; não se faça de desentendido, pois percebi no seu olhar que quer ser uma putinha safada e estou aqui para ser seu macho.

Não resistiu e perguntei: como seria essa história de ser a mulher dele.

Ele saiu e foi até a suíte da casa principal, retornando em seguida com uma calcinha fio dental, uma saia e uma blusinha (estava no guarda roupa da patroa)

Mandou eu vestir e disse: vai iniciar assim, vestindo roupa de puta e sendo minha fêmea; vou te fuder o final de semana inteiro; vou deixar vc sem pregas no cuzinho.

Arrepiei e obedeci… ele ficou observando e disse: soube no momento que te vi que eras uma putinha safada louca para dar esse cuzinho.

Sentado no sofá, mandou eu sentar no colo dele de ladinho; obedeci e quando sentei, senti aquele mastro super rígido.

Logo que sentei, passamos a nos beijar; estava completamente entregue aquele macho.

Fui tirando a camisa dele e passando as mãos naquele peito peludo; em seguida passei a beijar e passar a língua nos mamilos; ele gemia e me xingava de vadia, cadela, vagabunda…

Fui descendo, fiquei de joelhos na frente dele e passei a morder o pau por cima da bermuda; abri e puxei, deixando ele de cueca.

Que visão linda, pois era possível ver o pau estampado; tinha uns 20cm ou mais… coloquei pra fora e passei a chupar, passando a lingua naquela cabeça rosada e quente, com cheiro de macho; percorri ele inteiro até começar a engolir… era grosso e cheio de veias.

Ele me puxou pra cima e começou a me beijar, acariciando meu cuzinho e acertando minhas nádegas; foi me beijando e tirando minha roupa.

Quando me deixou nu, eu já estava pingando de tesão.

Mandou eu ficar de joelhos sobre o sofá, com as pernas afastadas e peito no encosto; obedeci e em seguida senti a língua dele devorando meu cuzinho.

Passei a gemer alto e ele me xingando dizia: pode gemer a vontade vadia pq estamos só.

Não demorou e eu pedi para ele me transformar em putinha; pedi pau.

Senti ele encostar aquela cabeça enorme no
meu cuzinho é começou a forçar; como ele tinha passado um lubrificante, não demorou para começar a entrar.

Eu gemia alto, pois nunca havia sentido tanto prazer.

Foi penetrando devagar, enquanto beijava meu pescoço e me xingava.

Eu pouco tempo senti seus pentelhos tocarem minhas nádegas; não acreditei que meu cuzinho havia engolido aquele mastro enorme.

Ardia muito, mais o prazer era maior.

Ela sabia como tratar uma putinha e foi muito carinhoso, mas quando meu cuzinho já estava mais acostumado, passou a me foder igual a um louco… oscilava entre estocadas fortes e penetrações lentas, me levando a loucura.

Me fodeu de 4, de frango assado, de ladinho, me fez cavalgar até o momento que ele passou a gemer alto, me segurou firme na cintura e com pau lá no fundo, passou a gozar; gozamos juntos. Ele gozou tanto, que senti o leitinho escorrer pelo cuzinho até nas coxas.

QUE DELICIA DE MACHO.

Passaei o final de semana vestido de mulher e servindo aquele macho delicioso.

No domingo a noitinha tomei um banho, me recompuz de homem e fui me despedi.

Nos beijamos e ele me levou no carro; quando guardei as malas, ele me chamou na frente do carro e pediu para dar a última lambidinha no meu cuzinho.

Deixei; ele tirou minha calça e minha cueca, eu afastei as pernas e me debrucei no capô do carro; estava eu de camisa e sem calça, debruçado daquela forma no meio do sítio e aquele macho delicioso devorando meu cuzinho com a língua.

Em seguida senti ele colocar o pau no meu cuzinho; relaxei e ele foi metendo; quando entrou tudo, puxou meus braços para trás e começou a socar com força; pedi para parar mas ele não obedeceu; socou muito e gozou, como gozou. Quando tirou o mastro, a porra escorreu entre as nádegas e desceu pelas coxas.

Ele não deixou me limpar; mandou colocar a roupa e retornar pra casa com o cuzinho cheio de porra dele; assim fiz.

Depois disso, aluguei o sítio mais vezes…

Mas segue nos próximos contos.

4.9 7 votes
Avalie esse conto:
2927 views

Contos Porno relacionados

Comentários

guest

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
Rogério
Rogério
7 meses atrás

Gosto muito de dar só casado mas é muito difícil encontrar homens que curte no sigilo

© 2024 - Contos porno
1
0
Clique aqui para comentar esse conto!x